Ao Vivo

Acessar

Ao Vivo

Ouça nossas rádios

RTVI ARTE

Artista Plástica Fernanda Feher e estilista Betina de Luca exibem exposição "Quando Amanhecer, Coração"
Estamparias, moda, telas e décor ultra lúdicas são exibidas de forma sensorial no ateliê da estilista convidando visitantes a sentirem a atmosfera da exposição como se entrassem em uma obra de arte



Uma profusão de cores e simbolismos, em uma atmosfera lúdica e poética. Não estamos falando de Alice no País das Maravilhas, mas sim, da união da artista plástica Fernanda Feher e da estilista Betina de Luca que firmam parceria inédita para apresentar a exposição "Quando Amanhecer, Coração", a partir do dia 15 de março, carregada de feminilidade, olhar crítico e sensibilidade traduzidos em estamparias, telas e decoração. 

Localizado na Rua Bela Cintra, 2165, em São Paulo, quem for pessoalmente conferir a loja está convidado a entrar de corpo e alma na atmosfera criativa da exposição. Assinada pela artista plástica Fernanda Feher, logo na vitrine, uma instalação de 4 metros de altura, chama a atenção pra esse convite sensorial. 

"A inspiração para a criação da exposição partiu de um livro de fotografias que encontrei em um brechó. Me despertou curiosidade e inquietação ver como as lembranças tão pessoais daquela mulher chamada Vera foram de certa forma descartadas. Me fez refletir como a vida passa rápido e logo até nossas lembranças perdem o sentido. Então, comecei a traduzir meus sentimentos e reflexões sobre o tempo nos meus desenhos sempre de forma lúdica, com a responsabilidade de dar mais uma chance para aqueles personagens viverem, e ao mesmo tempo fazer um convite para a gente não se levar tão a sério. Acho maravilhoso quando podemos rir mais de nós mesmos", revela a artista plástica Fernanda Feher. 

Ao todo 10 obras compostas de arte mista, com colagem de fotografias, aquarela e aplicações em diferentes tamanhos ganharam as paredes do ateliê, compartilhando a fonte de inspiração da artista que deu um novo olhar as obras. No alto, uma luminária assinada por Fernanda Feher traz aplicações de estamparias de Betina de Luca e imagens de mulheres nuas em meio a cactos.

E como retratista nata, a maior obra, uma tela de 1,80m x 1,50m, de Fernanda para Betina, traz o olhar da artista para a estilista.

"Partindo dos pontos que temos em comum - o apego às cores, o apuro aos detalhes, o trânsito livre entre mistérios, delírios e mundos inventados, o universo feminino, a natureza exuberante e, claro, a reverência aos processos manuais e à não-obviedade da beleza - assim, a loja assume sua vocação arquitetônica de espaço-galeria", conclui a estilista Betina de Luca.  

Sobre Fernanda Feher
Com um trabalho que busca subverter o estilo tradicional de retrato colocando suas personagens, em ambientes fantásticos e muitas vezes inseridos em paisagens improváveis, suas obras trazem como conteúdo artístico com simbolismos, reflexões e críticas à sociedade, principalmente em relação ao papel da mulher.  

Formada na Pratt Institute, em Brooklyn, NY, atualmente reside e trabalha em Lisboa, Portugal. Dentre suas exposições já realizadas no Brasil e exterior, destacam-se a Conflito Entre a Águia e a Serpente (2021), exposta na Galeria Millan, em São Paulo;Planos da Luz (2018), em Lisboa, Portugal, com a curadoria de Thiago Verardi; a exposição Quimera (2018) na arte 57, em São Paulo, com a curadoria de Fernando Ticoulat e a exposição #Paintings (2018), na 3331 Arts Chiyoda, em Tóquio. 

Tendo a mulher como conceito e inspiração de suas obras, Fernanda coleciona memórias e bagagens de viagens culturais que norteiam o seu trabalho, conhecendo os diferentes tipos de censuras, culturas e comportamentos femininos atuais. Dentre elas, o tempo em que viveu na África, quatro meses entre Tanzânia e Quênia, onde pode conhecer e conviver de perto com mulheres submetidas ao casamento infantil e a mutilação de suas genitálias. Não apenas a castração da mulher fisicamente, mas a censura e violência moral que mulheres em todo o mundo sofrem são traduzidas e interpretadas em retratos, por meio de artes mistas, que envolvem esculturas, desenhos, aquarelas, colagens e apliques.  

Betina De Luca + Waiwai  

O encontro criativo de Betina De Luca e Leo Neves - uma união com as bençãos do amor à arte e à brasilidade e, mais que tudo: a um tipo de moda que celebra essas duas coisas. 

De um lado, Betina De Luca: fiel representante de um lifestyle made in Rio, integrou a equipe da Filhas de Gaya e do marketing do Fashion Mall. E, bem cedo, juntou a vontade de aprender com a paixão por empreender fazendo moda autoral, reconhecida pela exclusividade e personalidade. Premissas que inspiraram a Bebel, multimarcas que abriu espaço para vários novos designers brasileiros e, mais tarde, a Virzi + De Luca, marca de roupas e acessórios-ícones criada em 2012 e até hoje lembrada pela originalidade. 

De outro, Leo Neves: depois de anos atuando como stylist e assistente de design de outras marcas, Leo criou a Waiwai Rio em 2015. Desde então, exercita sua inconfundível assinatura criativa em peças inspiradas por memórias, paisagens e símbolos do mundo, e que sempre se conectam com nossas raízes, saudades e bossas. 

Betina De Luca + Waiwai é sinônimo de moda artesanal, feita com apuro, autenticidade, e com a vontade de traduzir um DNA exuberante em peças livres de tendência, tempo ou destino final. 

Exposição Quando Amanhecer, Coração e Ateliê Betina de Luca 
Endereço: Rua Bela Cintra, 2165 
Segunda à Sexta | 10:00 - 19:00 
Sábado | 10:00 - 18:00 
Contato: +55 11 3062 6001




VEJA TAMBÉM






RTVI ARTE  |   25/02/2022 09h23